Caminho da Prece

Atualizado: Ago 24

Uma pessoa que vive a sabedoria, a transforma em conhecimento.

Agora eu vou desvendar a vocês o segredo de como você pode transformar sabedoria em conhecimento…


Para tanto, eu preciso te contar como eu cheguei a essa conclusão com a minha experiência no Caminho da Prece,...


A escolha de percorrer o Caminho da Prece se baseou por ser um caminho curto, de três dias. Um percurso de 71 quilômetros de Jacutinga à Borda da Mata, uma oportunidade de compartilhar e incentivar a prática da caminhada com os amigos.


No primeiro dia, tomei o café da manhã na pousada bem tranquilo e sem pressa de sair caminhando.


Começamos a caminhar, e logo fizemos uma parada na "Casa do Peregrino" para tirar uma foto do painel do amigo Polly, o idealizador do caminho.


Eu sabia que o primeiro dia de caminhada era por um trecho bem fácil, sem grandes dificuldades.

E saí caminhando em um ritmo bem mais lento do que de costume, tirando fotos, sem nenhuma preocupação de chegar logo ao destino.


Estava programado um almoço no meio do caminho e por isso mesmo e saí sem lanche de trilha, e só na hora que bateu a fome no estômago é que lembrei de que deveria ter levado comigo pelo menos uma barra de cereais ou uma fruta.


Chegando próximo ao horário do almoço, meio dia, apareceu um sol abrasador, diminuí o ritmo da caminhada e assim cheguei lentamente ao bairro dos Peitudos, sem energia, fraco e morrendo de fome.


E para minha surpresa, o grupo foi recebido no salão paroquial da igreja com uma bela de uma refeição caipira, com comidas típicas da região mineira.


Satisfeito e de barriga cheia, logo veio um sono incontrolável. Eu tirei as botas, as meias, encontrei um lugar fresco no chão para me deitar, joguei as pernas para cima e de tão cansado que estava, logo, dei uma bela de uma cochilada.

Durante a soneca uma voz me veio à cabeça: “Melhor você parar de caminhar e pegar o carro de apoio”.


As duas horas da tarde, era hora de recomeçar a caminhada, fazia um sol de “rachar mamona”, e como era de se esperar, me bateu uma preguiça danada. Estava sem forças para continuar caminhando.


E só consegui me levantar do chão com a ajuda dos amigos, que me deram além da mão, a força e coragem para me reerguer e voltar a caminhar, e assim consegui resisti a tentação de pegar o carro de apoio.


Em um trecho fácil do caminho, por descuido, transformei-o em um pesadelo, tive que enfrentar uma resistência que atormentou os meus pensamentos fazendo de tudo para eu desistir a continuar atingir o meu objetivo.


A noite, participamos da missa dos peregrinos, e eu, o escolhido para carregar a cruz na procissão de entrada da celebração até o altar da igreja.


Até aí nada de mais, ao final da missa, o Padre abençoou a todos pedindo proteção aos peregrinos do Caminho da Prece.


No segundo dia, caminhamos até Inconfidentes, onde fizemos a tradicional parada para saborear os irresistíveis pastéis do bar do Maurão. E lembrando de que eu tinha que lutar contra as minhas resistências, resisti ter o olho maior que a barriga, mesmo assim comi três pastéis.


De energia recuperada, segui o caminho por uma subida que parecia não ter fim; o sol bateu forte, e o tempo seco dificultava a minha respiração, tornando a subida “uma pedreira” e bem mais penosa do que parecia ser.


Caminhando em ritmo lento, cheguei ao ponto mais alto do caminho, a “Cruz de Pedra”, que foi inspirado na Cruz de Ferro do Caminho de Santiago, onde depositei uma pedra trazida de São Paulo, como símbolo de perdão e desapego.


É a hora de romper das costas todo o peso que carregamos.

Ao final do segundo dia, precisávamos esperar todos os peregrinos chegarem no Bar da Ziza, para de ônibus nos levar até a pousada em Borda da Mata.


Os primeiros que chegavam, aguardavam os demais, enquanto isso, descansavam, se hidratavam, bebiam cerveja e, alegres faziam a maior festa.


Cada peregrino que alcançava o ponto final, era recepcionado pelos demais amigos com muita alegria, cantoria e palmas.


No terceiro e último dia, o caminho me levou à reflexão. Caminhando sozinho, meditei sobre tudo o que tinha passado desde o início do caminho:


No primeiro dia pude refletir de como a mente nos boicota, como eu tive que lutar e enfrentar as minhas “resistências”; as desculpas que inventava e que servia para me tirar do foco principal; desviava a minha mente o tempo todo e criando dificuldades para eu alcançar o meu objetivo.


O Caminho da Prece é rico de mensagens, mas uma em especial chamou demais a minha atenção:

“Com entusiasmo e coragem carregue diariamente sua cruz, conquistando o seu ideal passo a passo”.

Ao meditar sobre a frase, senti como se tivesse percorrendo o Caminho da Prece, carregando o peso da cruz que entrei na igreja durante a procissão de entrada na celebração da missa.


Tenho que seguir o meu caminho carregando o peso da minha cruz, das minhas escolhas, todos os dias,


Mas se eu a fizer com ânimo e vontade, fará com que eu me torne mais humano, e com que eu atinja os meus objetivos com mais facilidade.


O Caminho da Prece me fez mudar a maneira de enxergar o meu desenvolvimento pessoal. Um Caminho, mesmo que curto, exige foco, dedicação e um moderado esforço para atingir a meta.


Os caminhos de peregrinação exterioriza a nossa vida e nos traz à tona, com isso, conclui que só conseguimos memorizar uma sabedoria, quando a vivenciamos e meditamos sobre os acontecimentos que passaram durante a nossa vida, transformando-os em experiência.


Seja em um caminho curto ou em um caminho longo, a forma poderosa de transformar sabedoria em conhecimento... é vivendo um Caminho de peregrinação.


A reflexão nos permite um olhar diferente sobre nós mesmos. E caminhando nos mostra que a vida se faz de coisas simples, desapego, compartilhamento e proporciona bem à alma um prazer espiritual.


Depois de andar no Caminho da Prece posso dizer que é um caminho simples, prazeroso que proporciona momentos de reflexão, contemplação, integração com a natureza e superação de desafios.


O Caminho da Prece é todo sinalizado e pode ser feito em qualquer data do ano só ou acompanhado.


Vamos lá?


Bom Caminho para sua Vida!

Um grande abraço!

Paulo Bertechini


Obs: Se quiser participar da próxima edição de Aniversário do Caminho da Prece, entre no site do Caminho e click em: https://caminhodaprece.com.br .

E procure o Polly e vá conhecer a Casa do Peregrino




Caminhadas

Caminhos do Brasil

Caminhos Internacionais

Caminho de São Francisco

Caminho  de São Bento

Caminho da Via Francigena

Caminho de Shikoku

Caminho Machu Pichu

Caminho Salkantay

Caminho Torres del Paine

Caminho Patagônia Argentina

Caminho de Santiago

Caminho Francês desde:

San Jean Pied del Port

Ponferrada

Caminho da Costa Português

Caminho Central Português

Caminho Primitivo

Caminho de Madrid

Caminho de Via de la Plata

Caminho Inglês

Contato

Fale Conosco

Quem somos

Peregrinos

Associações

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram

©2019 by Peregrino Sem Fronteiras. Proudly created with Wix.com

Rua Apiacas, 403  - Blue Point 5º Andar CEP 05017-020, Perdizes São Paulo/SP

Telefone / Whatsaap: 11 97103-0939  |  Embratur : nº  26.007088.96-2