O Espírito dos Peregrinos de Shikoku

Atualizado: Mar 4

Portal principal do templo 45, por onde saímos. A chegada foi pelos fundos pois optamos vir pela trilha nas montanhas.


A trilha é bem difícil; acredito que com chuva é impossível por causa das subidas e descidas muito íngremes, mas vindo pela trilha não precisamos subir 220 degraus para chegar aos altares dos templos pois a entrada é pelos fundos do templo.


Quando estávamos descendo os 220 degraus para tomar o ônibus, que já nos aguardava lá embaixo, um pouco antes de chegar a este portal tive uma experiência fantástica, que me fez refletir muito sobre o significado do real sentido do espírito peregrino.


Tínhamos programado um passeio a Omogokei, um vale cercado de natureza exuberante, especialmente no outono, com as folhas das árvores tingindo de vermelho as águas cristalinas do riacho que banha as montanhas.


Por conta disso apressei o grupo a obter o carimbo na credencial e descer para aguardar no ônibus. Fui uma das últimas e desci com uma peregrina amiga, vendo com que dificuldade as pessoas subiam os 220 degraus.


Já quase perto do portal me dei conta de que estava sem o chapéu e o wagesa. Tinha tirado o chapéu e os dois acessórios para ir ao banheiro, antes de me dirigir ao escritório do templo e esquecido no banco em frente ao escritório! (o wagesa deve ser tirado para ir ao banheiro e na hora da refeição também).

Como já estavam quase todos esperando no ônibus, desisti de voltar para buscar, para não atrasar o tão aguardado passeio, mas quando comentei com minha amiga, ela imediatamente se propôs a voltar, subindo os quase 220 degraus, para recuperar os dois itens.


Recusei, mas ela subiu correndo, e eu desci uns 15 degraus até o portal onde o marido dela a aguardava. Quando eu lhe contei o que tinha acontecido, ele disparou atrás dela, dizendo que poderia subir mais rápido que ela.

Quando ele já tinha subido uns 20 degraus, cruzou com um peregrino japonês descendo, com o meu chapéu e wagesa nas mãos.


Este senhor desceu perguntando para todos os peregrinos sem chapéu, para encontrar o dono. Disse que tinha cruzado com minha amiga, achou estranho ela estar subindo com tanta pressa, mas não a indagou por ela estar usando chapéu.


Recuperei os meus acessórios, agradeci e esperei o casal voltar para descermos juntos até o ônibus.


Como consequência das chuvas e ventos fortíssimos, por ocasião da passagem do furacão, a entrada ao Omogokei estava fechada, o passeio foi cancelado e fomos direto para o hotel.


Fui refletindo como é bonito o espírito peregrino, que se entrega ao próximo naturalmente, sem medir esforços.

E chego a conclusão de que tenho que evoluir muito, tenho muito a aprender com esses peregrinos fantásticos.

Margarida Sassaki (Margo)


Obs.: A Margô é peregrina que organiza grupos para o Caminho de Shikoku




Caminhadas

Caminhos do Brasil

Caminhos Internacionais

Caminho de São Francisco

Caminho  de São Bento

Caminho da Via Francigena

Caminho de Shikoku

Caminho Machu Pichu

Caminho Salkantay

Caminho Torres del Paine

Caminho Patagônia Argentina

Caminho de Santiago

Caminho Francês desde:

San Jean Pied del Port

Ponferrada

Caminho da Costa Português

Caminho Central Português

Caminho Primitivo

Caminho de Madrid

Caminho de Via de la Plata

Caminho Inglês

Contato

Fale Conosco

Quem somos

Peregrinos

Associações

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram

©2019 by Peregrino Sem Fronteiras. Proudly created with Wix.com

Rua Apiacas, 403  - Blue Point 5º Andar CEP 05017-020, Perdizes São Paulo/SP

Telefone / Whatsaap: 11 97103-0939  |  Embratur : nº  26.007088.96-2