Caminhar ajuda a controlar pressão e melhora até o humor, dizem médicos

Atualizado: Fev 27

Especialistas do Incor comprovaram que depois de exercícios leves pacientes idosos controlam melhor a pressão alta

​​

É tão simples, só um passo depois do outro. Mas, e se for o começo de uma grande mudança? Aquele momento em que você caminha para conquistar um sonho. Anda em busca de uma vida melhor e mais longa, põe à prova o tamanho da sua fé.


Longas jornadas sempre estiveram ligadas à história do homem, mas até a caminhada mais curta pode ser o início de uma nova vida.


“Para você deixar de ser sedentário, você tem que caminhar mais do que dez mil passos por dia. Ao invés de pegar o carro para ir trabalhar, ao invés de pegar o elevador, sobe escada, vai pegar o metrô, isso pode ser distribuído, e também a caminhada no parque”, explica o médico Carlos Eduardo Negrão, diretor da Unidade de Reabilitação Cardiovascular do Incor.

Ele garante: caminhar faz bem. E uma turma comprova. Eles passeiam num lugar que tem o nome perfeito: o Parque da Neblina, em Mogi das Cruzes/SP. A maioria passou dos 70, com fôlego de 30. Duvida? Antes da caminhada, João e Ruth receberam no Instituto do Coração de São Paulo um aparelho que mede a pressão arterial. Para Dorotea Queiroz, a Dorô, de 88 anos, reservaram um frequencímetro, um monitor de batimentos cardíacos. Os médicos vão avaliar o efeito da caminhada sobre a pressão e o coração deles.


Viúvo, João Carlos Marcon, de 70 anos, descobriu que caminhar também é ótimo para fazer amigos. E que nunca é tarde para começar. “Eu faço caminhadas há quase 10 anos. Comecei com 62”, diz Ruth Cintra.


Duas educadoras físicas do INCOR caminham de olho no coração de Dorô. A trilha é curta para o padrão deste pessoal, mas está cheia de surpresas. Sete quilômetros de Mata Atlântica milagrosamente preservados, pertinho de São Paulo.


Dona Ruth vai caminhando e apreciando a paisagem. De vez em quando, para um minuto para o aparelho registrar a pressão.


O coração de Dorô fez bonito. Mesmo no maior esforço, os batimentos não passaram de 135 por minuto. Excelente para quem está perto dos 90 e ainda consegue caminhar sete quilômetros na maior alegria.


“Ela já faz atividade físicas regularmente e isso evita que a pressão eleve muito mais”, explica Clevia Passos, educadora física do Incor.

E a pressão de João e Ruth? Será que a caminhada teve algum efeito? Doutores em medicina e educação física, especialistas do Incor comprovaram que depois de exercícios leves pacientes idosos controlam melhor a pressão alta.


“Pressão 133 por 77, que é um valor bem normal. Pessoas mais idosas tendem a ter a máxima um pouquinho mais alta. Então isso já mostra que o fato dela caminhar regularmente tem um efeito benéfico sobre a pressão. Agora, o seu João tem uma pressão também totalmente normal”, diz Luiz Bortolotto, diretor da Unidade Clínica de Hipertensão do Incor.


O doutor Negrão recomenda uma avaliação médica antes de se aventurar em longas peregrinações. E pode estar certo: mesmo a mais suave das caminhadas ajuda a ter ainda mais energia.




Caminhadas

Caminhos do Brasil

Caminhos Internacionais

Caminho de São Francisco

Caminho  de São Bento

Caminho da Via Francigena

Caminho de Shikoku

Caminho Machu Pichu

Caminho Salkantay

Caminho Torres del Paine

Caminho Patagônia Argentina

Caminho de Santiago

Caminho Francês desde:

San Jean Pied del Port

Ponferrada

Caminho da Costa Português

Caminho Central Português

Caminho Primitivo

Caminho de Madrid

Caminho de Via de la Plata

Caminho Inglês

Contato

Fale Conosco

Quem somos

Peregrinos

Associações

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram

©2019 by Peregrino Sem Fronteiras. Proudly created with Wix.com

Rua Apiacas, 403  - Blue Point 5º Andar CEP 05017-020, Perdizes São Paulo/SP

Telefone / Whatsaap: 11 97103-0939  |  Embratur : nº  26.007088.96-2